Objetivo

O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais e ajudar a esclarecer duvidas sobre a nossa complexa realidade. Não pedimos e nem esperamos que acreditem no que é apresentado aqui sem primeiro investigar por vocês mesmos, e nós insistimos que vocês o façam!
Busquem informação e ajudem a dissemina-la! Com informação vem conhecimento, com conhecimento sabedoria, a sabedoria lhe aproxima da verdade...
e a verdade o libertará!
Ouça a todos, não siga ninguém.
A única revolução é a SUA evolução da consciência!

Com o propósito de ir mais a fundo nas questões psicológicas e espirituais criei este outro blog: Evolução da Consciência

O blog Liberte-se do Sistema contém as informações que consideramos mais relevantes para ajuda-los a conectar os pontos de um modo básico, além de ser mais focado na estrutura do sistema e da sociedade. A intenção é mante-lo simples e organizado para quem está iniciando sua busca, ou simplesmente está procurando novas perspectivas.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

A "Morte" do Ego: Compreendendo o SER


Continuação do texto O Intelecto é Segregador

Quem vive pelo ego poderá ter seu nome imortalizado, mas apenas quem vive pelo espírito será de fato imortal. Não está na lógica a percepção de uma possível emancipação do pequeno eu. Emancipar-se é harmonizar-se. Eis então o flagelo do pseudoconsciente, acreditar que é superior ao ego, que é superior a uma parte de si mesmo, perpetuando sua fragmentação.

Sendo o pequeno eu uma extensão do Eu Profundo, nele está abrigada a própria manifestação do não-manifestado. Logo, sendo um canal para a expressão do divino, estar superior ao ego é estar, em termos diretos, não mais vivo. Vê-se então a impossibilidade de matar o ego, pois sendo a própria tradução do não linear, sua inexistência anularia completamente a vida.
Veja que me refiro à mente como um todo, não aos seus condicionamentos.

Eis então a nossa proposta para que haja uma trindade harmônica na vida de cada ser humano: O Eu Profundo, o mundo e o pequeno eu.

Quando há somente o primeiro(a existencia em si), não pode haver vida física, a linguagem é incompatível, por isso necessita de um ponto de referência. Quando esse ponto é neutro, dizemos que não existe intermediário, apenas tradutor.

Logo, a existência da mente é necessária; seu descontrole é que não. Quando descontrolada, torna-se intermediária, torna-se uma voz ativa que teima em distorcer a tradução.

O ego não existe por si só. Se você meditar profundamente sobre um determinado ego("eu"), vai perceber que ele se desvanece como uma nuvem. Ele não possui essência, não tem nada de concreto, é apenas uma associação de pensamentos que adquire uma personalidade própria. É como um fluir de pensamentos e emoções que se enredam e assumem a ilusão de ser alguma coisa real. Todos os egos são apenas associações de pensamento, assumem uma personalidade e quando estão no comando temos tanta certeza de sua existência que pensamos: este sou eu, eu sou assim, eu quero isso, eu não quero aquilo, é minha opinião. Porém, nada mais falso, são apenas pensamentos agrupados e associados que assumem vida própria e por alguns momentos acabam por assumir o comando.

O mundo, segundo elemento, não precisa de porta-voz para comunicar-se com o espírito, precisa apenas de um tradutor que mantenha a verdade incorruptível. Não é para haver tradução livre, é para haver tradução literal, pois o mundo é literal, é concreto e é por isso que o espírito quer conhecê-lo, pois o Eu Profundo não é literal, mas abstrato, fugindo de qualquer padrão identificado pela mente.

Deste modo, quem insiste em querer dissipar o ego está vivendo uma fantasia. Sendo o ego uma característica da mente, tudo o que for do pensamento parte inevitavelmente do mesmo princípio: o pequeno eu. Portanto, a ação em si já uma característica “corrompida” pela mente, impedindo que haja a separação, tão aclamada pelo pseudoconsciente, entre seu Eu Profundo e o ego. Matá-lo então é um pensamento tolo.

O ego não pode ser morto, pois não existe, é a ilusão de identificação com algum conceito que você criou de si mesmo(personalidade, corpo, status, etc.). Quando você diz que vai matar o ego, é o próprio falando. Quando você diz que se tornará superior ao ego, é o próprio falando. Quando você diz que vai lutar contra ele, é o próprio falando. Qualquer mentalização provém do ego. O que está além é a vontade pura, sem pontes para a expressão. É algo que não se descreve, não se fomenta e não se põe em movimento linear.

Portanto, matar o ego é impossível, ele sempre existirá, a não ser num estado da não-forma, no estado da divindade em si, do espírito, do total abstrato e subjetivo. Enquanto houver antropomorfização do espírito, a mente persistirá.

O que se deve fazer é harmonizar a mente, o mundo e o Ser. Esta trindade deve novamente ficar em equilíbrio, assim como ocorria na tenra infância em que o intelecto não estava presente, ou seja o intermediário, mas tão-somente o tradutor. A maturidade espiritual consiste em trazer de volta o tradutor, porém agora preenchido de consciência de si e de seu papel na evolução da matéria e na experiência do Eu Profundo.

Pois aquele que mesclar a inocência de uma criança com a consciência de um adulto estará enfim liberto das amarras do mundo. Terá finalmente sublimado Maya.

Compreenda algo de extrema importância: inteligência não tem nada a ver com conhecimento. Adquirir conhecimento é tornar-se instruído, mas não necessariamente inteligente. E veja que aqui eu nem me refiro à sabedoria, esse é outro nível. Instrução e inteligência são aspectos totalmente diferentes do entendimento humano.

Acumular conhecimento desvairado é um atributo de quem não conhece a si mesmo. Mais que isso, é um atributo de quem acha que sabe quem é. Não se trata de compreensão, trata-se de interpretação de informações concretas, uma vez que a raiz de qualquer conhecimento adquirível por vias materiais é constituída de objetivismos.

E não importa que haja pretensas abstrações em determinadas ideias filosóficas; em havendo a transcrição, haverá também uma perda quase integral do atributo original. Logo, qualquer conhecimento que possa ser aprendido pela mente concreta é contraído e limitado, pois assim é o pensamento.

Então, a principal diferença entre alguém instruído e alguém inteligente é que o primeiro, para saber o que sabe, procura ler 10 mil livros, mas o segundo aprendeu a buscar o conhecimento diretamente da fonte; por isso, mantendo-se em constante evolução, poderá tornar-se um sábio algum dia.

Não me refiro ao conhecimento apenas intelectual, vou muito além do intelecto. Falo da concepção universal do que é ter verdadeiro conhecimento, verdadeira inteligência e verdadeira sabedoria. Refiro-me ao saber baseado no autoconhecer e no autovivenciar que, para o mesmo efeito, leva cedo ou tarde ao conhecimento exterior que mais se aproxima daquilo que constituímos como verdade. Aqui, a sabedoria então pode ascender.

Mas isso só poderá vir quando o indivíduo perceber que o conhecimento não está em sua mente. Esse é o grande truque. Enquanto o intelectual busca ler tudo o que puder, o sábio acessa tudo aquilo de que ele precisa diretamente dos registros coletivos da consciência humana. E isso só pode se dar quando há espaço suficiente para a manifestação da intuição, do sopro do Eu Profundo.

Aquele em busca da sabedoria compreende que todo o conhecimento adquirido em vida se perde no momento da morte. Todos os diplomas, cursos, reconhecimentos, prêmios, conquistas, tudo isso se torna apenas uma partícula singular. Compreender isso é libertador, pois se entende que a busca exacerbada por conhecimento é desperdício de energia.

O conhecimento não está na mente, e isso é algo que pode chocá-lo. E eu lhe proponho apenas uma pequena meditação a respeito, pois sei que isso fará todo o sentido para você. A mente é apenas um referencial, um guia. O pensamento não nasce na mente física, assim como tudo o que aprendemos não fica nela armazenado.

Philosophy and the Matrix: Return to the Source

Você, como divindade, sabe tudo. Mas você, como pequeno eu, não tem consciência disso.

Logo, como pequeno eu, você tenta compensar esse esquecimento lendo e estudando desesperadamente para aprender tudo o quanto for possível, quando o mais sábio e eficaz seria tornar-se consciente e reconectar-se com seu lado divino que tudo sabe, tudo vê e tudo entende.

E é justamente por não compreender isso que você, ainda achando que é o pequeno eu, sofre, pois não compreende as coisas, se enraivece, pois não sabe como lidar com as pessoas e se magoa, pois não consegue entender a si mesmo. Seu estado de inconsciência produz uma avalanche de mentalizações em forma de flagelos.

Então, o grande lance é você deixar de lado essa ânsia por compreender tudo. Isso só leva a muita confusão pelo excesso de informações. Torne-se, ao invés disso, mais e mais consciente de si mesmo e do seu entorno.

Aos poucos, você estará derrubando barreiras que impedem que a intuição aflore. Pois quando ela soprar em seu pescoço, um novo universo estará ao seu alcance. Você saberá coisas que jamais pensou em conhecer; verá abstrações tão nítidas como uma xícara de café; começará a entender as mais complexas questões formuladas até então por sua mente.


Buda - A Superação do Ego

27 comentários:

  1. muito bom Marcos! Belíssimo texto, consinto com praticamente tudo só não consinto com o que não entendi haha..

    Ótimo blog, meus parabéns :)

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse texto, não adiantar lutamos contra o ego mesmo...

    ResponderExcluir
  3. Esse texto é apenas o ego se defendendo... Uma interpretação completamente equivocada sobre a realidade psíquica. Quer compreender a realidade psiquica? Então se é necessário uma fonte livre de ego: www.amormaior.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou pedir o mesmo que pedi no Facebook:
      "Poderia explicar onde o "ego" se defende no texto?
      Peço que se forem criticar algo, por favor tratem de expor seus argumentos. Dizer "é isso", é bem facil e pode desmotivar as pessoas a ler o texto."

      Excluir
    2. "A sua verdade é uma mentira, a minha verdade é melhor e livre do ego, mas ainda assim possui julgamentos e preferencias, que não apresentam explicações, as minhas razões são maiores que as suas, e não preciso explica-las para que os outros entendam meu ponto de vista"

      Excluir
  4. Não concordo, a morte do ego é possível,se for morto só restará a essêcia que nada vem do ego

    ResponderExcluir
  5. http://www.youtube.com/watch?v=24b6_bhBZiE

    ResponderExcluir
  6. Concordo que a morte do ego é impossível; num livro de Samael Aun Weor, aprendi um exercício excelente que me ajuda a conviver com o ego, impedindo-o de me dominar e usando-o para me servir em vez de ser servido por mim; vou passar e espero que possa ser útil a quem quiser tentar.

    São apenas 2 passos muito simples:

    PASSO 1-Pare e ouça seus pensamentos (sem interferir, nem julgar, apenas ouça!); quem observa (ouve os pensamentos) é sua essência, pois o ego não pode ouvir a ele msmo...repita esse primeiro passo sempre que puder ou quiser, apenas para reconhecer o ego que habita e domina vc; vc inclusive irá perceber que nesses momentos, a voz dentro da sua cabeça se cala, tentando se esconder; ao perceber-se descoberto; não se engane, porém, pois ele (o ego) continua lá muito vivo e esperto, aguardando o momento de retomar e interferir na sua vida, dominando-a; esteja vigilante sempre;

    PASSO 2-Deixe claro que, após o reconhecimento dele, ele (o ego) não irá mais dominar vc e que, ao contrário, vc irá, então, servir-se dele para o q precisar, tipo: vc esqueceu onde colocou suas chaves; de um comando para que sua mente pare a tagalerice e trabalhe para encontrar suas chaves; tente fazer esse pequeno exercício e vc irá se surpreender...aos poucos vc deixará cda vez mais claras as posições: sua e do ego...ao lembrar-se onde deixou as chaves, agradeça à voz e lembre-a novamente de essa (e só essa) é a função dela, ou seja, ajudar vc em vez de mandar e tentar interferir na sua vida...

    Bel de Mello

    ResponderExcluir
  7. Carinhas, eu só escreveria sobre a morte do ego se eu realmente tivesse conseguido tal façanha. Ou senão é só mais um texto dentre milhares de outros, em que se aborda uma suposta possibilidade, mas quando isso ocorre, caímos no campo das teorias e ideias.

    ResponderExcluir
  8. Como é bom escutar um senhor que fala com tanta sabedoria e experiencia! ainda ver essa parte do filme "pequeno buda" demonstrando o ego do siddhartha me despertou uma vontade de meditar varias horas..

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo blog! Belíssimo conteúdo.

    ResponderExcluir
  10. Adorei o texto!era tudo o que eu precisava saber! Estava mesmo querendo entender essa questão da "morte" do ego, e achei tudo o que procurava aqui.
    Muito obrigada mesmo!
    Se não se importar, gostaria de compartilhar este texto no meu blog, afim de expandir esse conceito que todos nós precisamos saber!
    Adicionarei, é claro, seus devidos créditos.

    http://semeadoresdaluz.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fique a vontade, informação é para ser compartilhada :D

      Excluir
    2. "O ego não pode ser morto, pois não existe" (...)"Portanto, matar o ego é impossível, ele sempre existirá"

      Excluir
  11. eu não intendi direito a diferença do "eu profundo" e "do pequeno eu"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só um modo de expressar o "eu limitado", aquele que está preso nas próprias estruturas de crenças rigidas, e o "eu profundo" é aquele eu que é mais abrangente, e por consequência paradoxal, pois aceita a existência dos dois polos(negativo e positivo) dentro de si, aceita o "conflito", ou dança entre os polos como uma força criadora.

      Excluir
  12. Ao editor(a) GRATIDÃO pelo seu conhecimento compartilhado e tempo oferecido. Completamente sintonizado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo reconhecimento, fico muito feliz em ajudar! :D

      Excluir
  13. bah o video "Buda - Superação do Ego e a Iluminação" não ta dando pra ver, teria como arrumar o video pra ver?!
    site mto bom, mto bom mesmo, vejo ele direto...vlw parabens!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é brother, direitos autorais são uma merda, eu procurei mas não achei outro vídeo igual.
      E gratidão pelo apoio!

      Excluir
  14. Li , há algum tempo , uma frase de Einstein em que ele disse : " a verdade é aquilo que vence o teste da experiência " ...
    Quem alguma vez , ainda que por poucos minutos , conseguiu "suspender" seu ego certamente compreende com clareza esse artigo , por mais denso que ele possa ser para o intelecto ( ou devo dizer "para o ego" ?? ) ...
    Artigo muito rico , muito profundo e muito interessante !!!
    O Blog , já há algum tempo , virou uma espécie de "Mestre" para mim !!!
    Muito obrigado pela disponibilidade e pelos artigos partilhados !!!
    Belíssimo trabalho !!!!

    ResponderExcluir
  15. cara você disse ´´ Com informação vem conhecimento, com conhecimento sabedoria, a sabedoria lhe aproxima da verdade...
    e a verdade o libertará!`` e depois com esse texto diz que ler milhares de livros não vão me ajudar a ser sábio!, desculpa minha ignorância mas não entendi direito sua posição, se puder me responder agradeço, sou muito grato pelo seu blog , cresci muito vendo ele! fique em paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ler os livros não te fará sábio, te fará conhecedor. A sabedoria é transcendente ao conhecimento, é uma perspectiva integradora da realidade.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...